ad valorem

Participação Cívica

ad valorem

Este pretende ser um espaço de participação cívica. Aqui iremos debruçar-nos sobre o quotidiano político, seja de âmbito nacional seja de âmbito regional ou local.

António J. B. Ramalho

0
0
0
s2sdefault

Em linha...

Temos 85 visitantes e 0 membros em linha

A aquisição do Círculo (novamente...)

 

Estive a ler a nota de imprensa divulgada pela Câmara Municipal de Estremoz relativa ao assunto em título.
Sem delongas ou rodeios, vou directo ao assunto: efectivamente cometi um erro de interpretação da documentação emitida pela maioria do executivo, ao ter associado ao lote dado em pagamento do edifício do Círculo o valor de aquisição de um terreno de maior dimensão (€ 181 532,50). Por conseguinte, assumo o lapso e reconheço como correcto o valor de aquisição referido no comunicado da Câmara para o lote em causa (€ 25 270).
O que é curioso é que apesar de ter sido longo o debate na reunião de Câmara de dia 2 de Junho e de eu sempre ter referido aquele primeiro valor como sendo o valor de aquisição do lote dado em pagamento, ninguém na referida reunião me ter corrigido o lapso. A acta da reunião comprova exactamente isso, tal como comprova que ninguém se terá apercebido do lapso, em especial os proponentes do negócio. A pergunta que se impõe é, portanto, a seguinte: então fui só eu quem esteve equivocado? Se o lapso era tão evidente porque me deixaram gastar o latim a incorrer num erro suprível com um mero esclarecimento?
Para que não fiquem dúvidas, revelo de seguida um vídeo (gravado pelo meu computador pessoal) que comprova exactamente o que digo: quando solicitei a confirmação da minha afirmação o Sr. Presidente, depois de hesitar, acabou por a confirmar. Vejam o vídeo.
 
  
 
Porém, e salvo melhor opinião, a substância deste esclarecimento da Câmara Municipal afasta o debate daquilo que constitui para mim o cerne da questão. De facto, em nenhuma parte da minha intervenção referi que o Palácio do Círculo ficava caro ou barato, o que contestei foram dois aspectos, a saber:
  • O facto de não estar devidamente avaliado o custo total da aquisição dado que não nos foram prestados esclarecimentos sobre o valor das infraestruturas a realizar no lote cedido;
  • e, FUNDAMENTALMENTE, a questão da oportunidade para realizar este investimento em momento tão adverso.
É por isso que importa esclarecer que o voto contra do PSD justifica-se apenas e tão só pelas razões que enunciei na referida reunião, as quais reproduzo no vídeo seguinte.
 
Depois deste vídeo, creio que ficamos esclarecidos relativamente àquilo que, do nosso ponto de vista, verdadeiramente importa neste processo.
0
0
0
s2sdefault